top of page

Tecer Palavras e Memórias: Adélia Prado, a debutante das redes


 "Em outubro, a poesia ganhou voz nas redes sociais com a chegada da talentosa Adélia Prado ao Instagram. Seu universo poético agora se desdobra em palavras digitais, encantando corações virtualmente
Perfil da poeta mineira Adélia Prado no Instagram - Captura de tela.


Dia desses, navegando pelas redes sociais, os amantes da poesia tiveram uma grata surpresa. Ouso dizer, um presente de fim de ano. E é falando dessa surpresa que encerro este 2024 nas ondas do Sagarana Notícias.


Falando de poesia e dessa surpresa que já comento, relembro da infância, de minha peregrinação à Biblioteca Pública Municipal de Itaguara. Muito do que sou devo à poesia que li. Para alcançá-la, era necessário esforço físico: subir umas duas dezenas de degraus vermelhos para acessar a biblioteca. Década de 70, 80... Sei que você me encontraria no terceiro andar do prédio, onde hoje funciona a Prefeitura de Itaguara,


Sempre muito bem recebido pela Dona Maria Oleitia, servidora a quem registro meu carinho e agradecimento. Ela, sabendo dos meus gostos, já trazia um Carlos Drummond de Andrade, ou do Olavo Bilac, ou de Cecília Meirelles, entre outras obras relacionadas ao teatro e à arte.


A Biblioteca Pública Guimarães Rosa foi minha casa da poesia na infância. Nome do ilustre morador da cidade, ilustre personalidade mundialmente conhecida, de quem também descendem as inspirações para o título – Sagarana Notícias.


Pois bem, um pequeno relato pessoal para contextualizar a minha surpresa e seguimos... Eis que, explorando as páginas do Instagram, me deparo com Adélia Prado, falando a seus leitores. Não é que a mineira Adélia Prado se rendeu ao alcance das mídias! Deslumbrante como a palavra que diz, transbordando mineiridade e profundidade. Quanta luz se desprende de Adélia.


A poeta, do alto de seus 88 anos e que planeja lançar livro inédito em 2024, feito aparição, estreou na plataforma Instagram @euadeliaprado. Esse é o mais novo endereço da consagrada escritora.


Às vezes, eu esbarro com o Eugênio, filho de Adélia, nos corredores onde trabalho. Havia dito a ele que seguia uma página não oficial que falava sobre os feitos de Adélia. Achei que era ele quem realizava publicações, para minha surpresa, ele mesmo não conhecia a página. (rsrs) Tive que explicar. Na época, a tal página tinha mais de 60 mil seguidores.


Mas agora foi diferente. Adélia surgiu na experimentação desse diálogo através das redes sociais. Um tanto encabulada, sem o traquejo dos influenciadores ou blogueiros, mas impactante. Dona de uma voz que conversa com o Altíssimo, lê a sua poesia.


Seu nome também ganhou destaque nas redes em 2023, através da gafe do então Governador de Minas, o Romeu, que numa entrevista para uma rádio ganhou do entrevistador um livro da lendária poeta, e demonstrando não conhecer a Adélia Prado, profanou: “ela trabalha aqui?”.


O fato é que viver sem poesia é praticamente impossível. E o mesmo vale para viver sem arte. Se você pensa assim, busque-a lá no Instagram e mande seu recadinho para essa mineira que é paixão nacional.


Fico por aqui, abraçando os leitores, agradecendo o espaço neste site.


Sigam refletindo enquanto eu fico divagando.


Um ano próspero e rico em poesia.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page